terça-feira, 18 de abril de 2017

ESCÂNDALO NA CAPITAL ☼ Funcionária afirma que PV sabia de assédio de subsecretário; ele nega

O subsecretário de Reparação da Prefeitura de Salvador e diretor de finanças do Partido Verde (PV) na Bahia, Valcy Evangelista da Silva, foi acusado por uma funcionária da legenda - hoje com 21 anos - de assédio. A moça, que preferiu não ter seu nome identificado, contou em entrevista ao site Metro1, na manhã desta terça-feira (18), que tudo começou em 2013 - quando ela foi trabalhar no PV - mas a queixa contra Evangelista só foi prestada à 7ª delegacia no Rio Vermelho, recentemente. De acordo com ela, o assédio já tinha sido avisado à direção do PV, mas nenhuma providência foi tomada. "Que segurança eu poderia ter como mulher, como funcionária, como cidadã? Eu precisava do trabalho, do emprego, tinha as minhas necessidades", resaltou.

"As coisas começaram com elogios, que com o passar do tempo foi se tornando mais abusivo. Ele passou a me chamar de gostosa, a falar que minhas calças eram apertadinhas. As idas à sala dele também ficaram frequentes e ele tentou me roubar beijos, e ele chegou a conseguir roubar um selinho. Em novembro, ele me chamou e disse que como o partido tinha feito quatro vereadores em Salvador, as coisas poderiam melhorar. Ele começou a me ameaçar, dizendo que eu precisava do emprego. Ele me convidou para conversar fora do partido, jantar, tomar vinhos. Eu vim entender que, na verdade, o que ele queria era uma troca de favores. Se eu favorecesse para ele, sexualmente, ele me favoreceria, isso é assédio", afirmou.

Ainda segundo a funcionária, o subsecretário tentou tocar em suas partes íntimas. "Passou a mão na minha bunda, tentou cheirar meu cangote, só que eu não tive coragem de ir até a delegacia, eu só falava para ele parar porque eu não queria. Quando eu recusava, ele me tratava mal. Demorava de me pagar, como quem dissesse, se você não colabora aqui, também não vou colaborar com você. Eu vivi dias terríveis aqui no partido", desabafou.

A moça ressaltou que, mesmo depois que assumiu o cargo de subsecretário, Evangelista continuou com olhares direcionados para ela. "Não mudou nada, isso continua me incomodando", completou. A funcionária continua empregada no PV.

O outro lado

Em nota enviada à imprensa, a Prefeitura de Salvador afirmou que espera o resultados das investigações sobre a denúncia. "O subsecretário da pasta, Valcy Evangelista de Souza, nega veementemente as acusações". Procurado, o presidente estadual do PV, Uldurico Jr., não foi encontrado para comentar o caso.

0 comentários:

Deixe aqui sua opínião