quinta-feira, 20 de abril de 2017

FEIRA DE SANTANA Greve Geral: comerciários, bancários e rodoviários confirmam paralisação dia 28

As categorias que vão participar da Greve Geral no dia 28 vão protestar contra as propostas da Reforma da Previdência, da Reforma Trabalhista e da Terceirização.
Os ônibus dos transportes coletivo urbano, intermunicipal e interestadual de Feira de Santana vão paralisar por 24h no próximo dia 28. O ato faz parte da paralisação nacional e, segundo informações do vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários, José de Souza, a categoria decidiu por unanimidade, durante uma plenária em São Paulo, pela participação no movimento.

Além dos rodoviários, vão paralisar os bancários, comerciários e professores das redes municipal e estadual e da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs).

As categorias que vão participar da Greve Geral no dia 28 vão protestar contra as propostas da Reforma da Previdência, da Reforma Trabalhista e da Terceirização. “Estão querendo rasgar a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e nós não vamos aceitar que tirem nenhum direito dos trabalhadores, por isso vamos fazer essa grande greve no dia 28 e, se não resolver, vamos ter que fazer outras ações para tentar coibir essa reforma”, afirmou.

José de Souza destaca que só haverá circulação de ônibus se houver alguma liminar determinando que os veículos devam sair das garagens. “Em Feira de Santana o transporte coletivo vai parar. O sindicato conversou com os trabalhadores e comunicou aos empresários que vamos fazer esse movimento. Esperamos que os políticos olhem um pouco para os trabalhadores. Não somos contra a reforma trabalhista, mas do modo que está sendo feita veio para acabar com os trabalhadores”, declarou.

Bancários

Os bancários de Feira de Santana, reunidos em assembleia na última segunda (17), na sede do Sindicato, aprovaram por unanimidade a participação da categoria na Greve Geral do dia 28 de abril, convocada pelas Centrais Sindicais contra medidas do governo.

“Os bancários se unem às demais categorias que já aprovaram também a sua participação na Greve Geral do dia 28, formando uma frente ampla de resistência para demonstrar que não aceitarão esses ataques de braços cruzados, deixando um congresso e um presidente, retirar direitos dos trabalhadores”, informou a categoria.

*As informações são do repórter Paulo José do Acorda Cidade

0 comentários:

Deixe aqui sua opínião