sexta-feira, 14 de abril de 2017

SALVADOR ► Kannário propõe Dia da Favela, projeto de LéoKret que foi sancionado por JH

Dissociado do mundo político da capital, essa semana o cantor Igor Kannário (PHS) resolveu botar as asas de fora e apresentou uma modificação a uma Lei de autoria da ex-vereadora LéoKet, que em 2009 instituiu o Dia Municipal da Favela, Subúrbio e Periferia. Há quem diga que o artista tem objetivo de levar o crédito, já que LéoKret não foi reeleita e está fora da política há algum tempo.

Em seu Projeto de Lei, o polêmico vereador sugere que na data sejam discutidas e elaboradas políticas públicas para os jovens com objetivo de conscientizá-los sobre a “centralidade de seu papel enquanto cidadão, bem como sua responsabilidade política na construção da sociedade”. Kannário sugere, em seu PL, quer que as secretarias de Cultura e de Promoção Social e Combate à Pobreza sejam as responsáveis pela elaboração da programação.

O que o ex-vocalista da banda A Bronkka parece não saber é que a data foi escolhida pela ex-vereadora LéoKret em homenagem ao surgimento do Bairro da Paz que, em 23 de abril de 1982, se tornou uma ocupação urbana. Inicialmente denominado de invasão das Malvinas, em virtude dos conflitos da época, entre a Inglaterra e a Argentina, a ocupação recebeu uma violenta repressão policial e uma forte pressão da administração municipal e estadual.
À reportagem do site, Léo Kret se mostrou indignada e disse que Kannário está mal informado: “eu acho que Igor Kannario está mal assessorado, porque pelo menos na época que fui vereadora e tinha ideias de projetos a primeira coisa que fazíamos era pesquisar se o projeto já existia. E está claro nesse projeto de Igor que está sendo copiada inclusive a data. Se perguntar a ele o porque da escolha desse dia 23 de abril garanto que não vai saber responder”.

A ex-vereadora ressaltou que esse projeto foi sancionado pelo então prefeito João Henrique e elaborado em parceria: “foi elaborado em parceria com a Central Única da Favela (Cufa)”. “Propus o projeto porque sou a rainha do guetho, onde vivi e vivo até hoje com muito orgulho”, ironizou LéoKret, em uma referência velada ao fato de Kannário ter mudado de bairro. 

0 comentários:

Deixe aqui sua opínião