terça-feira, 23 de maio de 2017

FEIRA SANTANA ☼ 'Se eu chego na hora iria arrancá-lo do trio', diz coronel sobre Igor Kannário na Micareta

Durante a festa, o cantor parou de cantar para pedir a punição a uma policial feminina após acusá-la de agredir foliões durante a festa. Ele disse ainda que era mais autoridade que a policial por ser um vereador.

Em resposta às declarações do cantor Igor Kannário durante sua apresentação, no domingo (21), último dia de Micareta de Feira, o coronel Adelmário Xavier, do Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL), disse ao Acorda Cidade que faltou uma reposta mais rígida da Polícia Militar em relação ao comportamento do cantor. Ele declarou que o artista deveria ter sido conduzido em flagrante por desacato a funcionário público em serviço e que se estivesse na hora iria retirá-lo de cima do trio.

Durante a festa, o cantor parou de cantar para pedir a punição a uma policial feminina após acusá-la de agredir foliões durante a festa. Ele disse ainda que era mais autoridade que a policial por ser um vereador.

“Infelizmente quando isso chegou ao meu conhecimento eu já tinha saído do circuito porque se eu chego perto dele, o procedimento normal era deixar terminar a apresentação e conduzi-lo à delegacia. Se eu chego no momento, eu iria arrancá-lo do trio e se caso fosse eu iria fazê-lo engolir aquele microfone para ele aprender a respeitar as pessoas e a Polícia Militar da Bahia”, declarou o coronel.

No Instagram de Igor Kannário, a assessoria de comunicação disse que o cantor ficou abismado com a ação da polícia em Feira de Santana e que ele pedirá a designação de uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Salvador, para que o comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Anselmo Alves Brandão, dela participe e esclareça os fatos e as providências.

A assessoria comunicou ainda que Kannário vai entregar uma representação a Procuradora Geral do Ministério Público do Estado da Bahia e para a Corregedoria da Polícia Militar “para que apurem a violência praticada”.

A Secretaria da Segurança Pública (SSP), por sua vez, afirmou por meio de nota enviada ao Acorda Cidade, que vai apurar os supostos excessos cometidos na festa, na qual participaram as corregedorias da PM e da SSP em regime de plantão, para receber qualquer tipo de denúncia de abuso policial.

O coronel Adelmário Xavier disse que antes do desfile do cantor enviou um aviso para que ele se comportasse como artista. Ele disse também que a atitude mais rígida da PM visando prevenir ocorrências durante a passagem de Igor Kannário incomodou o cantor.

“O que incomodou Igor Kannário foi que ele sabe que quando ele passa na avenida a atitude da PM precisa ser mais rígida e em maior número pelo que ele apresenta ou induz seus seguidores a fazerem. Desde a saída dele no início do circuito um número grande de patrulhas vinha acompanhando coibindo qualquer abuso e isso incomodou Igor Kannário. Isso é um ponto. Outro ponto: Igor Kannário em cima do trio conseguiu vislumbrar uma PFem (Policial Feminina) com colete e capacete, que a gente não consegue debaixo do trio, então eu posso acreditar que o Kannário estava sonhando. Terceiro ponto: ser autoridade não necessariamente é ser vereador. Tem que ter qualidades, caráter, moral e isso não dá a Igor Kannário a condição de autoridade. Ele precisa respeitar as pessoas. Mandei um aviso no trio para ele se comportar com decência e como artista e ele concordou, mas quando chegou no final do percurso ele fez uma coisa dessa (...). Ele seria preso em flagrante”, declarou” afirmou.

O comandante do CPRL informou ainda que está concluindo um relatório descrevendo o que ocorreu para encaminhar ao comando-geral da Polícia Militar e que não viu nas filmagens nenhuma irregularidade em relação a PFem.

0 comentários:

Deixe aqui sua opínião