quinta-feira, 8 de junho de 2017

SALVADOR ☼ Licitação cancelada deixa alunos de escolas de Salvador sem farda: "Há três anos"

Há mais de um ano o filho da copeira Suely Leal não tem farda para ir à escola. Ele é aluno do 4º ano da Escola Municipal Hilberto Silva, na Baixa do Fiscal, e assim como os outros alunos da instituição, não recebe o fardamento. “Desde 2016 não tem farda. Ele usa roupa comum. Procuramos o diretor da escola e ele fala que não depende dele, que ele já falou com a Prefeitura”, explica a copeira, que está desempregada.

O problema enfrentado por Suely se repete em muitas escolas municipais de Salvador e a solução depara com a burocracia. Isso porque a capital está há quase três anos sem uma licitação para escolher a empresa que fornece o fardamento às escolas municipais. Em 2015, de acordo com a Secretaria Municipal de Educação, foi aberto um processo licitatório para a compra do material, só que as empresas escolhidas desistiram do contrato e pediram a impugnação da licitação.

O argumento usado pelos empresários foi que a licitação era “desfavorável” do ponto de vista comercial. Desde então, nenhum outro processo foi aberto. Mas, de acordo com a Secretaria de Educação, o material foi entregue em 2014 e 2015 e a situação tem prazo para ser resolvida.

Alunos em São Caetano estão sem farda há 3 anos

Patrícia Silva procurou a Metrópole para denunciar situação parecida na escola Municipal Cônego Emílio Lobo, em São Caetano. Segundo ela, as 160 crianças da instituição estão sem fardas há três anos. “Nós fizemos uma reunião com a direção da escola e, segundo ela, a Prefeitura disse que o fardamento está previsto para depois de agosto. As crianças estudam sem farda há três anos”, reclama.

A Prefeitura de Salvador reconheceu a falta de fardamento nas escolas municipais e prometeu, em breve, entregar aos alunos o kit que vai contar com “camiseta, bermuda, meia, tênis e demais itens”. “É muito ruim para os alunos estudarem dessa forma”, completou Patrícia.

Prefeitura contesta tempo e promete farda

A Secretaria de Educação afirma que um novo processo licitatório para aquisição das fardas escolares está em andamento. “Através de pregão eletrônico pela modalidade Registro de Preço. A expectativa é que os kits sejam distribuídos até agosto”, disse.

Contrariando pais de alunos, segundo o diretor de Suporte à Rede, Flávio Pimenta, apesar dos problemas com a licitação, houve entrega de fardamento em 2015. “Em 2014 e 2015 nós distribuímos fardamento. Os alunos que ingressarem em 2016 não tiveram realmente. Mas isso não tem um prejuízo pedagógico”, explicou.

Insegurança maior

A falta de fardamento influencia até mesmo na segurança dos colégios municipais de Salvador. Diretor de uma escola cujo nome não vamos revelar para não comprometer alunos e professores, Rodrigo* afirma que a ausência do fardamento aumenta o risco para os alunos. “Eles precisam ser identificados. Aqui é uma área perigosa, comandada pelo tráfico de drogas, e as crianças e os adolescentes precisam estar identificados com a farda da escola”, reclamou.

Metro 1

0 comentários:

Deixe aqui sua opínião