sábado, 12 de agosto de 2017

SALVADOR ☼ Terceiro dia da Flipelô movimenta Centro Histórico

A programação diversificada da Primeira Feira Literária Internacional do Pelourinho (Flipelô) continua movimento as ruas e espaços do Centro Histórico de Salvador. Nesta sexta-feira (11), terceiro dia de atrações, baianos e turistas puderam curtir uma série de atividades como saraus, encontros literários e debates. As apresentações e intervenções artísticas são abertas ao público e gratuitas e continuam até domingo (13).

Para o secretário da Cultura Jorge Portugal, o grande sucesso da Flipelô é a forte participação de jovens. "É o que nos encanta, porque a maior realização de um escritor é continuar sendo lido e quando a nova geração começa a tomar contato com os livros que os escritores criaram, você tem garantidamente a continuidade da literatura”.

O secretário Jorge Portugal também mostrou seu lado escritor na feira literária nesta sexta-feira. Ele fez o lançamento de seu livro "Por que o Subaé não molha o mapa" e participou do bat- papo com o professor Pasquale Cipro Neto sobre aspectos da oralidade brasileira. Pasquale acredita que é uma oportunidade de disseminar conhecimento. "Eventos como esse ajudam a população a entrar mais em contato com cultura brasileira. É uma delicia poder participar", afirma.

Com programação gratuita e aberta ao público, a iniciativa é realizada pela Fundação Casa de Jorge Amado, com suporte do Serviço Social do Comércio (Sesc) e apoio financeiro do Governo do Estado, através da Superintendência de Fomento ao Turismo do Estado da Bahia (Bahiatursa).

A expectativa é que durante os cinco dias de evento cerca de 30 mil pessoas visitem as mais de 60 atividades que serão oferecidas gratuitamente e abertas ao público, entre saraus, debates, apresentações musicais e oficinas literárias e outras atividades.

Programação — No Terreiro de Jesus foi realizado o 2º encontro de Coletivos de poesia com Sarau de poesia com Sarau da Onça, Grupo Resistência Poética e Sarau Enegrescência, grupo formado por jovens do bairro de Sussuarana que abordam temáticas como racismo e preconceito contra a população das periferias.

Ação de Museus — Os museus administrados pela Diretoria de Museus (Dimus) do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) promovem programação durante todos os dias do Flipelô. Nesta sexta (12), a oficina Poemusik foi realizada em frente ao museu Udo Knoff com apresentações artísticas de colaboradores do museus.

0 comentários:

Deixe aqui sua opínião